Sustentabilidade X Eficiência dos Processos Florestais

Como a gestão dos desperdícios afetam a pegada de carbono

Por: Fátima Gonçalves, Maurício Tolfo e Moisés Rabelo

A preocupação com o Meio Ambiente, Responsabilidade Social e Governança Corporativa está na lista de grande parte das organizações no mundo. Temas como, realizar uma boa gestão de resíduos, diminuição da emissão de carbono e demais gases, economia de água e ações que se relacionam e impactam a comunidade local tem sido discutidos com frequência.

Um tema bastante debatido e que têm sido cada vez mais frequente nos estudos e artigos na mídia é a pegada de carbono e sua compensação através do melhor controle do estoque presente em vegetações nativas (protegidas ou não por lei), ou utilização do saldo positivo de empresas, como por exemplo as empresas florestais e suas florestas plantadas.

Mas é possível reduzir a pegada de carbono com processos ineficientes e sem o controle preciso dos desperdícios? A indústria florestal se faz esta mesma pergunta?

O segmento florestal tem evoluído muito nos últimos anos, um exemplo disso são os processos silviculturais com uso de novas tecnologias de precisão, gestão de desperdícios, controle de vazão, mapeamento eficiente do uso do solo e a utilização do conceito de taxa variável nas atividades. Utilizando-se hoje, por exemplo, da correção de sinais de GNSS, é possível aumentar a precisão das atividades de subsolagem, plantio, fertilização, entre outras, tornando as atividades florestais cada vez mais eficientes, sustentáveis e de fácil administração. Diversos são os benefícios destas novas tecnologias, como por exemplo, ganho de área, redução de custos com mão-de-obra, controle no uso de água, economia de insumos, aumento de produtividade e controle e gestão mais rápidos eficientes.

Um outro ponto importante é o controle eficiente de eventos não planejados como anomalias climáticas, pragas, doenças, incêndios, ocorridos durante a fase de crescimento da floresta. A precisão desse controle tem um impacto muito grande na produtividade e qualidade final da madeira e obviamente será determinante para as próximas ações e novas adaptações de processos.

O registro consistente ao longo dos anos sobre todas as operações realizadas e ocorrências no ciclo de vida da floresta, permite planejar ações efetivas de aumento de produtividade, com base em uma série de dados históricos comparando a qualidade e quantidade da produção obtida em cada fase ou ciclo da floresta. Isso só é possível quando o histórico de tudo o que aconteceu durante o crescimento está fácil e rapidamente disponível para análises comparativas. Estas análises estendem-se para além do processo de produção florestal e, com o uso da ferramenta adequada, podem ser utilizadas também no processo fabril, onde todos os eventos que impactam na qualidade da madeira produzida podem ser utilizados na análise e otimização da produção dos seus derivados.

Através das análises comparando as diferenças de produtividade e avaliando as diferenças de manejo é possível avaliar tendências de melhores práticas e implementar processos de melhoria contínua, além de identificar a causa raiz de problemas. Estudos (https://conectaragro.com.br/) indicam que a digitalização dos processos pode trazer ganhos entre 3 e 15%.

Outros ganhos de produtividade na casa dos 3 a 18% estão relacionados ao monitoramento climático em tempo real, permitindo assertividade no uso dos recursos, redução de desperdício, e melhor apoio ao planejamento operacional.

A administração das séries históricas, permite análise preditiva e geração de dados auditáveis que se refletirão na Gestão de Redução de emissões de CO2 entre 3 e 15%.  Mas o controle não para por aí, as florestas capturam toneladas de CO2, todos os anos, mas para se beneficiar disso, as empresas precisam identificar os volumes capturados de cada área (inclusive áreas de terceiros), avaliar o impacto nos volumes liberados em ocorrências negativas, para dar transparência e credibilidade aos dados.

Podemos dizer então que o caminho para a sustentabilidade requer muito cuidado com as informações, processos e uso de ferramentas adequadas de administração de dados para que o negócio ESG decole e se sustente ao longo do tempo.

 

A Alberta Newsprint Company substitui os bilhetes de carga de papel pelo CFX, um produto Trimble Connected Forest™

A Alberta Newsprint Company (ANC) está substituindo seu processo de tíquete de carregamento de papel pelo CFX, um produto Trimble Connected Forest.

A Alberta Newsprint enfrentou dois desafios persistentes com seu processo baseado em papel: coletar dados de seus contratados era demorado e reconciliar os erros que inevitavelmente resultaram em custo adicional causados pela entrada manual. A implantação de uma solução digital pela ANC ajudará a agilizar o processo de coleta e conciliação de tíquetes de carga.

O uso de CFX em vez de bilhetes de carregamento em papel resulta em maior precisão dos dados coletados em campo e fornece visibilidade das transações da cadeia de suprimentos, tanto para a comunidade contratante, quanto para a empresa de produtos florestais. A ANC também conseguiu alavancar o CFX para agilizar as verificações obrigatórias do COVID-19 em sua escala.

Para saber mais sobre as soluções Connected Forest da Trimble, envie um e-mail para contatoflorestalbrasil@trimble.com.

Sobre a Alberta Newsprint Company

A primeira e única fábrica de papel de Alberta, Alberta Newsprint Company (ANC), é uma joint venture do The Stern Group (Whitecourt Newsprint Company Limited Partnership) e West Fraser Timber Co. Ltd. Com um forte compromisso com a excelência compartilhado por todos os membros da equipe , ANC fornece a empresas em todo o mundo com alta qualidade, custo-benefício

 

Sobre a Divisão Florestal de Trimble

A Divisão Florestal da Trimble oferece SAAS e software corporativo para melhorar a produtividade e a sustentabilidade das empresas de produtos florestais integrados mais reconhecidas do mundo, gestores florestais, organizações de conservação, departamentos governamentais, fabricantes de produtos acabados e parceiros que conectam a cadeia de suprimentos florestais globais. As soluções Connected Forest™ da Trimble gerenciam todo o ciclo de vida das matérias-primas, planejamento, plantio, cultivo, colheita, transporte e processamento. Para mais informações, visite: forestry.trimble.com/pt.

Sobre Trimble

A Trimble desenvolve tecnologias para transformar e melhorar o modo como o mundo trabalha. Com a integração de dados de posicionamento, transmissão em tempo real e processamento de informações, a Trimble oferece a solução completa de ponta a ponta para ampliar a produtividade, segurança e sustentabilidade em projetos para indústrias e governos. Presente com seus produtos no país há mais de três décadas, a Trimble contribui com suas soluções para que o Brasil explore o máximo de seu potencial de desenvolvimento nas áreas de agricultura, construção civil, transporte e logística, aplicações geoespaciais e construções verticais. Fundada em 1978, a Trimble está sediada em Sunnyvale, Califórnia. Para mais informações, visite:  www.trimble.com.br., (NASDAQ:TRMB).

 

A CFHarvest fornece dados atualizados sobre a exploração florestal finlandesa

CFHarvest delivers logging data to Finnish Forest Centre

Hoje lançamos uma nova versão de nossa popular solução CFHarvest SaaS para um manejo mais inteligente da colheita florestal.

Com esta versão, o Centro Florestal Finlandês (Metsäkeskus) receberá dados resumidos das operações de extração coletados pela CFHarvest. O papel do Centro Florestal Finlandês é coletar e compartilhar informações sobre as florestas finlandesas.

Agora eles podem garantir que seus dados de recursos florestais sejam rapidamente atualizados com base nas operações de extração propriamente ditas. Além disso, o serviço permitirá que as empresas florestais solicitem dados atualizados sobre os recursos florestais de seus próprios sistemas florestais.

A Mercer Celgar Pulp Ltd está mudando para a Solução Digital Trimble Connected Forest™ para substituir os bilhetes de Carga em Papel

Trimble anunciou que a fábrica de celulose da Mercer Celgar localizada em Castlegar, BC, Canadá está adotando a solução CFX da Trimble, a fim de modernizar a forma como seus operadores de caminhões geram bilhetes de carga. Com uma solução digital que funciona em dispositivos móveis, a Mercer Celgar Pulp LTD espera ganhar maior confiança nos dados coletados no campo e na escala de pesagem.

A CFX substituirá os bilhetes de papel. Isso eliminará o tempo gasto corrigindo erros de bilhetes e fornecerá visibilidade quase em tempo real em transações de carga. O acesso prontamente disponível aos dados dos bilhetes de carga acelerará a tomada de decisões e fornecerá a capacidade de mais análises. A expectativa é que essa transformação digital leve a maior eficiência em toda a cadeia de suprimentos da Mercer Celgar.

A Mercer está comprometida em ser líder na bioeconomia do século XXI, fazendo uso pleno e eficiente de seus valiosos recursos florestais, apoiando iniciativas de sustentabilidade para aumentar os benefícios sociais, econômicos e ambientais para as comunidades em que atua.

“Temos o prazer de nos unir à Mercer Celgar no fornecimento de soluções tecnológicas que inovam o setor florestal, ajudando-o a se tornar mais eficiente e sustentável”, disse Kevin Toohill, gerente geral da Trimble Forestry.

Para saber mais sobre as soluções da Floresta Conectada da Trimble Forestry, envie um e-mail para contatoflorestalbrasil@trimble.com. Trimble Forestry tem escritórios de vendas em todo o mundo.

Sobre a Mercer Celgar Pulp Ltd:

Mercer Celgar Pulp Ltd está localizada em Castlegar, BC, Canadá e faz parte da Indústria de Fábricas de Celulose, Papel e Papelão. A Mercer Celgar Pulp Ltd tem 420 funcionários totais em todas as suas localidades e gera US$ 27,29 milhões em vendas (USD). Há 20 empresas na família corporativa Mercer Celgar Pulp Ltd.

Sobre a Divisão Florestal de Trimble

A Divisão Florestal da Trimble oferece SAAS e software corporativo para melhorar a produtividade e a sustentabilidade das empresas de produtos florestais integrados mais reconhecidas do mundo, gestores florestais, organizações de conservação, departamentos governamentais, fabricantes de produtos acabados e parceiros que conectam a cadeia de suprimentos florestais globais. As soluções Connected Forest™ da Trimble gerenciam todo o ciclo de vida das matérias-primas, planejamento, plantio, cultivo, colheita, transporte e processamento. Para mais informações, visite: forestry.trimble.com/pt.

Sobre Trimble

A Trimble desenvolve tecnologias para transformar e melhorar o modo como o mundo trabalha. Com a integração de dados de posicionamento, transmissão em tempo real e processamento de informações, a Trimble oferece a solução completa de ponta a ponta para ampliar a produtividade, segurança e sustentabilidade em projetos para indústrias e governos. Presente com seus produtos no país há mais de três décadas, a Trimble contribui com suas soluções para que o Brasil explore o máximo de seu potencial de desenvolvimento nas áreas de agricultura, construção civil, transporte e logística, aplicações geoespaciais e construções verticais. Fundada em 1978, a Trimble está sediada em Sunnyvale, Califórnia. Para mais informações, visite:  www.trimble.com.br., (NASDAQ:TRMB).

Gestão Florestal e Mapas – Uma Abordagem Unificada

Por Moisés Rabelo Azevedo

A gestão dos processos e áreas florestais, por se tratar de uma atividade majoritariamente agrária que compreende grandes extensões de terras, vem sempre associada a um controle espacial, tanto das áreas produtivas quanto das não produtivas (áreas ditas de outros usos).  Neste sentido, o uso de ferramentas SIG para suporte ao planejamento e controle desses processos, torna-se imprescindível e muitas empresas se veem na obrigatoriedade de adotarem uma ferramenta SIG e integrá-la com o seu Sistema de Administração Florestal.

Historicamente, esta é a solução padrão que a indústria vem adotando: um Sistema de Administração Florestal (SAF) mais um Sistema de Informação Geográfica (SIG) e um conjunto de ferramentas e funcionalidades desenvolvidas para integrar as duas bases de dados.

Figura 1: Modelo tradicional de arquitetura de intergeração SAF – SIG

A complexidade da integração SAF ßà SIG, varia em função da complexidade dos processos florestais de cada empresa, mas em geral têm-se, pelo menos, um mapeamento entre as informações tabulares das unidades produtivas (talhões) e seus respectivos polígonos. Já em empresas com alto grau de maturidade em seus processos florestais, esta integração envolve desde o aspecto fundiário (Imóveis, matrículas, etc.), passando pelas informações de Cadastro Florestal de uso do solo e ativos biológicos até informações operacionais de formação florestal e suprimento de madeira.

Quanto mais maduros os processos florestais de uma empresa, mais complexo é o desenvolvimento da ferramenta de integração SAF ßà SIG. Todavia, como trata-se de sistemas nativamente separados, sempre haverá um gap entre as funcionalidades e regras de negócio de ambos. O exemplo clássico é o da divisão-unificação de talhão, onde para o SIG, trata-se apenas de uma divisão de um polígono qualquer, enquanto do pondo de vista florestal, existe um impacto enorme considerando todas as informações associadas ao talhão (material genético, solo, produtividade, operações, ocorrências, etc.) e que devem ser devidamente tratadas juntamente com o processo de divisão-unificação citado.

A partir do cenário descrito surge a seguinte pergunta:

E se, no lugar de partirmos de bases/sistemas separados, pudéssemos estender, uma base de dados espaciais considerando todas as regras florestais de modo a não temos mais dois sistemas e sim somente um que suportasse as regras espaciais e florestais simultaneamente?

Teríamos o melhor dos mundos pois não precisaríamos de integração uma vez que SAF e SIG seriam um só sistema!

Figura 2: Modelo de Sistema de Administração Florestal e SIG Unificados.

Bom demais para ser verdade? Soluções Florestais e SIG são escopos naturalmente distintos? Não existe empresa que fornece ambas as soluções no mercado podendo assim combiná-las em uma única solução?

Bem, a Trimble fez isso!

Como? Simples, ela chamou a principal fornecedora de solução SIG do mundo (ESRI) e, com essa parceria, desenvolveu um Sistema de Administração Florestal acrescentando à base de dados geográficos todas as regras de negócios e entidades florestais de modo que, a partir desta solução, a ferramenta ESRI agora segue nativamente as regras de negócio que gerenciam a produção florestal ao mesmo tempo que o sistema florestal atende todas as regras de controles espaciais associadas às suas entidades.

 

Figura 3: ESRI ArcGis Pro sendo executado diretamente do Trimble CFForest. Todos os recursos ESRI disponíveis e obedecendo as regras de negócio florestais numa abordagem unificada. No exemplo, uma divisão de talhão no ArcGis Pro, nativamente desencadeia todos os processos correlatos no CFForest.

Apesar de essa abordagem parecer inovadora para o nosso mercado, o CFForest é uma solução extremamente madura e amplamente utilizada pelas grandes empresas florestais no mundo. Além disso, o CFForest é uma solução multiplataforma que atende a todos os requisitos de governança corporativa dos mercados florestais mais exigentes. Possui um grande número de outras características que, dado o valor que trazem para o negócio florestal, pretendemos detalhá-las nos próximos artigos (spoiler alert: ESG e Florestas de Precisão fazem parte da lista!).

 

FORICO USARÁ O SISTEMA DE GERENCIAMENTO E INVENTÁRIO DE LOGS DA TRIMBLE (LIMS)

O maior gestor florestal da Tasmânia, Forico, implementará o Log Inventory and Management System (LIMS) da Trimble para ajudar a gerenciar 174.349 hectares de florestas.

O LIMS é uma plataforma de software que fornece controle de gerenciamento sobre todas as fases das operações florestais, pátios e fábricas. A Forico usará o LIMS para ajudar a acelerar os pagamentos dos contratados e a reconciliação de tíquetes de carga, aumentar a segurança da madeira e obter visibilidade em tempo real das interações da cadeia de suprimentos.

O recém-lançado Natural Capital Report da Forico avaliou seu ecossistema florestal em US$ 3,39 bilhões e o valor do carbono sequestrado em mais de US$ 8,6 bilhões. O relatório, o primeiro de seu tipo na Austrália, estabeleceu uma referência para negócios e indústria em gestão ambiental e relatórios de sustentabilidade corporativa.

“A Trimble e a Forico compartilham valores fundamentais, incluindo o reconhecimento do valor da sustentabilidade de nossos recursos naturais, e temos o prazer de apoiar os esforços da Forico para ser bons administradores de suas operações florestais”, disse Dan Turkington, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Trimble Forestry, com sede na Nova Zelândia.

Sobre Forico:

A Forico é a maior empresa privada de gestão florestal da Tasmânia. Para mais informações, visite https://forico.com.au/about

Sobre a Divisão Florestal da Trimble

A Divisão Florestal da Trimble oferece SaaS e software empresarial para melhorar a produtividade e sustentabilidade das empresas de produtos florestais integrados mais reconhecidas do mundo, gestores florestais, organizações de conservação, departamentos governamentais, fabricantes de produtos acabados e os parceiros que conectam a cadeia global de fornecimento florestal. As soluções Connected Forest™ da Trimble gerenciam todo o ciclo de vida das matérias-primas de planejamento, plantio, cultivo, colheita, transporte e processamento. Para mais informações, visite: forestry.trimble.com/pt

Sobre a Trimble

A Trimble está transformando a maneira como o mundo funciona, fornecendo produtos e serviços que conectam os mundos físico e digital. As principais tecnologias de posicionamento, modelagem, conectividade e análise de dados permitem que os clientes melhorem a produtividade, a qualidade, a segurança e a sustentabilidade. De produtos específicos a soluções de ciclo de vida empresarial, o software, hardware e serviços da Trimble estão transformando setores como agricultura, construção, geoespacial e transporte e logística. Para obter mais informações sobre a Trimble (NASDAQ: TRMB), visite: www.trimble.com.br

CFLogístics: LogForce Os dados foram usados em um estudo que levou a mudanças na legislação

Adoramos ajudar nossos clientes e a indústria florestal a aproveitar ao máximo os dados. Um bom exemplo disso é como os dados extraídos de nossa CFLogistics: LogForce a aplicação foi utilizada em um estudo que levou a mudanças na legislação na Finlândia. 

No outono de 2020, o Instituto de Recursos Naturais da Finlândia (Luke) estava investigando a necessidade de mudanças na chamada Lei de Danos Florestais, pois os besouros da casca do abeto causam cada vez mais danos devido ao aquecimento global. Com a ajuda de dados extraídos da CFLogistics: LogForce, eles foram capazes de estimar como os fluxos de madeira e os custos de transporte mudariam se o prazo para a remoção da madeira descascada de coníferas fosse apertado em algumas partes do país.

Com base no estudo, o Instituto de Recursos Naturais da Finlândia fez uma série de recomendações que levaram o governo finlandês a apresentar uma proposta ao Parlamento para emendar a Lei de Danos Florestais. Sob a emenda, algumas das áreas da Zona B da atual Lei de Danos Florestais serão transferidas para a Zona A, o que vai restringir o prazo para o transporte de madeira de abeto colhida antes de 1º de junho dos armazéns à beira da estrada para terminais de madeira e pátios de madeira nas áreas transferidas. As mudanças deverão entrar em vigor no início de 2022.

Leia mais em finlandês (pdf, Luke) >> 

 

Klabin expande o uso do Wedge

Klabin está expandindo o uso do Wedge para sua nova fábrica em Ortigueira, Brasil.

O objetivo é manter a mesma praticidade e rapidez nas análises que temos experimentado em nossas outras fábricas.
– Elielson Batista, Engenheiro de Processos, Klabin

A Klabin usa o Wedge desde 2018. Características tais como modelagem, regressões lineares, correlações multivariadas com compensação dinâmica de atrasos de processo têm estado em uso ativo. Além disso, a flexibilidade para incorporar múltiplos bancos de dados em um único sistema tem sido valorizada.

O Wedge tem facilitado respostas rápidas e um suporte mais ágil para a tomada de decisões. A solução tem sido especialmente valiosa para descobrir distúrbios e identificar oportunidades para otimizar nossos processos.
– Elielson Batista

A nova implementação do Wedge é parte do Projeto Puma II, que é o maior investimento na história da Klabin.  Sua operação é um marco importante no ciclo de expansão da Klabin, o que reforça sua capacidade de crescimento sustentável combinada com a tecnologia.

Trimble Forestry na GeoForum Summit

Hoje tivemos o prazer de sediar uma interessante discussão na GeoForum Summit sobre como utilizar os dados geoespaciais no gerenciamento operacional na silvicultura.

Perttu Aunola resumiu o debate: “Boas capacidades técnicas e redes funcionamento bem nos permitem desenvolver toda a cadeia de valor na silvicultura, tanto os processos da cadeia de fornecimento de madeira quanto à sustentabilidade, segurança e produtividade do trabalho na floresta”.

Obrigado por participar da discussão Koneyrittäjät, University of Eastern Finland e Metsäteho Oy.

Topo Contacte-nos